Por que Participar de um Grupo de Estudos?

Compartilhe este post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

O IBAC lançou este ano uma novidade: os grupos de estudos avançados (GEAs). Mas por que participar de um grupo de estudos? É diferente de fazer um curso?

Fonte: gob.mx

Desde a graduação, participei de diferentes grupos de pesquisa. Além das diferentes atividades de elaboração de projeto, coleta de dados, leituras, escrita de relatórios e orientação individual, uma importante parte da formação científica é participar das reuniões em grupo. Ali é possível compartilhar as etapas do seu trabalho para receber feedback dos seus pares, melhorando o projeto. Outro fator importante desses grupos sempre foi a leitura compartilhada por todos os membros, para discussão em reunião.

Considero esse tipo de reuniões extremamente valioso para a nossa educação científica, especialmente em um momento que percebemos sua falta no atual cenário político nacional e internacional. A proposta de um grupo de estudos é precisamente reunir um pequeno grupo de pessoas com interesse acadêmico em comum para debater com embasamento na literatura científica.

Seguem 10 motivos para participar de um grupo de estudos:

1. Comunidade. Já se pegou querendo explicar minúcias sobre Análise do Comportamento aos seus amigos em uma mesa de bar? Em um grupo de estudos você vai criar uma pequena comunidade de pessoas que tem os mesmos interesses acadêmicos que você.

2. Compromisso. Você também tem aquela pasta no seu computador cheio de arquivos pdf de artigos e livros que você se prometeu ler e a lista só cresce? Tem alguns assuntos que você sempre quis se aprofundar, mas nunca acha tempo? Deixe de procrastinar! Quando marcamos um horário e sabemos que temos pessoas nos esperando, aumentamos a probabilidade de manter o compromisso comparado a quando marcamos apenas com nós mesmos.

3. Comunicação. Sempre ouvimos que precisamos desenvolver nossas habilidades de comunicação oral, que é importante para as nossas carreiras, mas em sala de aula temos oportunidades limitadas para desenvolvê-las. Mesmo em apresentações, pois ali temos toda uma preparação e suporte audiovisual. Em um grupo de estudos você se engaja em um debate saudável, desenvolvendo sua comunicação de maneira mais ampla.

4. Reflexão. Em um grupo de estudos você tem oportunidade de se engajar em uma reflexão mais profunda do conteúdo. Não basta só ler e absorver. Você deve fazer uma leitura ativa e crítica. Nem tudo que é publicado, mesmo em revista científica com qualis, “presta”. Questione suas pré-concepções sobre o tema, questione o texto, anote seus questionamentos e suas dúvidas para debater com os colegas.

5. Compreensão. Não é incomum nos depararmos com trechos de artigos que temos maior dificuldade em compreender. Em um grupo de estudos sempre vai ter alguém que sabe mais do que a gente e vai nos ajudar a entender esses pontos. Nos GEAs do IBAC também temos mediadores especialistas que estão aí pra guiar a discussão e auxiliar nos impasses.

6. Explicação. Já me peguei inúmeras vezes achando que entendi todo o conteúdo e quando alguém pediu uma explicação… me confundi toda! Dizem que você só realmente entendeu algo se consegue explicar de maneira simples a um leigo. Ou seja, em um grupo de estudos às vezes a colega te ajuda e às vezes você é quem ajuda a colega enquanto verifica seu próprio conhecimento.

7. Acolhimento. Em um grupo de estudos o ambiente é acolhedor. São poucas pessoas e todas estão abertas a aprender e a escutar. Há liberdade para se expressar e se despreende um pouco do ambiente de sala de aula, que pode ter sido ou ainda ser um contexto aversivo em nossas vidas. O papel do mediador nos GEAs do IBAC não é de detentor do conhecimento, é apenas uma pessoa com mais experiência que vai servir como guia.

8. Interação social. Convenhamos que na pandemia temos estado especialmente carentes de contato social. Por mais que passemos muito tempo à frente do computador, estamos principalmente assistindo coisas, lendo e escrevendo. Ter momentos de interação ao vivo, no qual todos abrem a câmera e conversam entre si, é imprescindível.

9. Novas habilidades. Na troca entre participantes do grupo também aprendemos novas maneiras de estudar. Como você encontra tempo pra ler? Faz anotações? Por onde começa a leitura de um artigo científico? Se está com pressa, quais seções dá prioridade?

10. Produção. Finalmente, é possível que o grupo chegue a algum tipo de produção compartilhada. Um artigo de revisão, talvez? Ou algo mais simples, como um infográfico? Quem sabe um post de instagram ou no Blog do IBAC? Além da comunicação entre pares, a divulgação científica para leigos é muito importante. O mundo precisa saber mais sobre a Análise do Comportamento!

Quais dos motivos listados são os mais importantes pra você? Você consegue pensar em outros motivos para participar de um grupo de estudos? A proposta te pareceu diferente do que acontece em um curso? Comente abaixo!

Escrito por:

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba nossas atualizações

Comentários

Posts recentes

economia comportamental

Para agora ou para depois: Escolhas de autocontrole

Se você é analista do comportamento, já deve ter familiaridade com as escolhas impulsivas e de autocontrole. Escolhas impulsivas são aquelas em que os reforçadores

filosofia da ciência

Por que o Behaviorismo é uma Filosofia da Ciência?

Em meados do século passado, B. F. Skinner, um importante disseminador dos princípios filosóficos behavioristas e um igualmente importante pesquisador para o desenvolvimento da Análise